Dicas para seu consultório – Vigilância Sanitária em São Paulo


Todos sabemos que temos responsabilidades e muitos deveres na hora de montar um consultório odontológico. Aqui, vou enumerar algumas dicas práticas que devem ser seguidas para que os fiscais da Vigilância Sanitária não peguem no seu pé e para que nossos pacientes e equipe estejam sempre protegidos.

1. Espaço Físico do Consultório

O espaço deve ser avaliado com cuidado. A sala de atendimento individual deve ter um tamanho mínimo (9 metros quadrados) para termos espaço para o equipo, os armários e todos aparatos do consultório. É sempre bom pensar para frente – mesmo que você não ache que vai usar todo espaço, é interessante ter uma sobra de espaço. Quem sabe você resolve montar uma nova cadeira, ou colocar algum equipamento novo na sala? O projeto deveria ser aprovado previamente pela vigilância sanitária antes da obra ocorrer (isso é difícil de acontecer, mas você já evita os problemas de fiscalização antes de começar!) Uma janela vai muito bem na sala de atendimento, para manter o ambiente arejado e livre de odores como mau hálito, chulé ou qualquer outro cheiro forte da nossa gaveta de medicamentos odontológicos.

2. Os Banheiros

Consultórios sem banheiros ficam um pouco estranhos. O paciente adora dar aquela passadinha no banheiro antes da consulta. Se possível, tenha um banheiro exclusivo para você, dentista. Você que passa o dia todo lá, enfurnado no consultório, deve ter um espaço próprio para “descarregar” a pressão do dia-a-dia! Imagina você fazer aquele número 2 no banheiro da recepção? Sair de lá e olhar direto na cara do seu próximo paciente? É chato!

3. Sala de Espera

Deve ser calculada com tamanho mínimo de 1,2 metros quadrados por pessoa. É legal ter sofás confortáveis, os pacientes comentam e valorizam esse conforto. As revistas devem estar atualizadas – nada de deixar aquela Caras com a foto do casamento da Stephanie Brito e do Pato (eles já se separaram!). Em relação à colocar uma TV ou um som ambiente, fica à seu critério. A música deve ser relaxante e é bom que a TV não fique em canais que fazem propaganda de outras grandes clínicas.

4. O Expurgo ou Central de Material Esterelizado (CME)

Consultórios simples, com apenas um equipo, podem ter uma sala com uma bancada com pia e o equipamento de esterelização. Aí devem ser estabelecidas as rotinas de assepsia para não haver contaminação e mistura de materiais sujos com os limpos. Já as clínicas, com 2 equipos ou mais, devem ter um CME com 2 ambientes – um sujo para lavagem de material e um limpo para embalagem, esterelização e estocagem de material. Essa é uma das partes mais importantes do consultório e ela deve ser funcional e organizada.

5. Piso, Paredes e Teto

Esses devem ser lisos e não conter ranhuras. Nada de carpete, tapetinhos e pisos mal acabados. Os rodapés também devem observados, de modo que possam ser limpos sem problema. Persianas e cortinas são permitidas, contanto que sejam limpas com regularidade. A iluminação indicada é a com lâmpadas fluorescentes para maior distribuição de luz e economia de energia.

6. Documentação Necessária

Aqui que devemos ter muito cuidado e organização. Claro que para ser dentista, tem que ter o registro no CRO. A licença e o alvará de funcionamento deve ser solicitado antes do início da atividade. O prontuário do paciente deve estar completo! Isso serve para a sua proteção, também, em caso de processo judicial. O atestado e a receita dada ao paciente também seguem regras. O melhor à fazer é seguir à risca o que aprendemos nas aulas de farmacologia e odontologia legal.

7. Riscos Ocupacionais

Todos os profissionais de saúde devem ser vacinados contra a Hepatite B e, claro, estarem em dia com todas as vacinas necessárias. Não deixe de checar as vacinas de todos os seus funcionários! Caso haja acidente com material perfurocortantes – Mantenha a calma; Se for um membro da equipe, avise o dentista do acidente;  Lave o ferimento com água e sabão; Dirija-se imediatamente para o centro de referência no atendimento de acidentes ocupacionais. Se você procurar o serviço em até 2 horas para receber a quimioprofilaxia contra Hepatite B ou HIV, a chance de não haver contágio é bem maior.

8. Biossegurança

Ao falar de biossegurança aqui no Blog, estou até me tornando repetitivo! Porém, é um assunto de extrema importância. Aliás, farei um Post apenas sobre biossegurança. Para resumir: Superfícies devem ser limpas com Álcool 70. Superfícies tocadas pelo dentista durante o atendimento devem ser protegidas com plástico de PVC e trocados a cada paciente. O profissional e a auxiliar devem usar avental, máscara, gorro, óculos de proteção e luvas. Nada de avental sujo de sangue! Você não quer parecer um açogueiro, né? Tenho sempre mais de um avental no seu consultório.

9. Autoclave

Gente, estufa não pode mais!!! Eu tenho certeza que mais da metade dos consultórios por aí, na cidade de São Paulo, ainda trabalham com estufa. O uso da autoclave é uma das grande evoluções da odontologia. A sua manutenção e os testes químicos e biológicos devem estar em dia, sempre. E uma observação pertinente: autoclave não estereliza material sujo! Oriente sua ASB para tirar aquele resto de Hydro C da ponta do aplicador!

10. O Raio X

O paciente deve usar o colete e a proteção cervical. O profissional e equipe devem sair da sala, caso esta seja preparada contra a disseminação dos raios X. Também, pode-se usar aquele biombo de chumbo, onde o profissional se esconde na hora de tirar a radiografia. Todas as salas com Raio X deveriam ser protegidas devidamente!

11. Gerenciamento de Resíduos

Devemos ter 2 lixos diferentes – o de resíduos contaminados e o de resíduos comuns. Além disso, o lixo “Descarpack” para materiais perfurcortantes. Esse último é recolhido por uma empresa especializada – Limpurb em São Paulo. Você deve se cadastrar e pagar a taxa mensal (que saco!). Leia mais AQUI.

Vejam como temos regras à seguir! Tudo isso estando em ordem, podemos oferecer uma estrutura livre de contaminantes. Paciente: quando você achar caro passar no dentista, dê uma lida por cima desse Post!!!

Para informações mais específicas e completas acesse:  http://www.cvs.saude.sp.gov.br/ (Fonte do Post)

Clique no menu Áreas Técnicas; Serviços de Saúde; Odontologia e Prótese Dental

Depois baixe o arquivo Serviços Odontológicos – Prevenção e Controle de Riscos.

Nesse texto você encontrará todas informações necessárias para abrir seu consultório!

A HelpDoc – Empresa especializada em ajudar o dentista a adquirir toda a documentação necessária para regularização do seu consultório – resolve para você. Mande e-mail para - helpdocsp@gmail.com 

CLIQUE AQUI - http://www.helpdoc.com.br/

Lembrem-se que essas recomendações são baseadas no manual da Vigilância Sanitária para o estado de São Paulo.

ARTIGO CIENTÍFICO RELACIONADO - Eficácia da Estufa de Pasteur como equipamento esterilizante em Consultórios Odontológicos

 

Um Abraço,

Equipe Dicas Odonto

15 respostas a Dicas para seu consultório – Vigilância Sanitária em São Paulo

  1. Sandra Bueno de Camargo disse:

    Luiz , sempre bom revisarmos estes itens de biosseguranca. Com a posicao ergonomica que trabalhamos, ou seja com o paciente deitado, nao seria viavel o paciente usar oculos de protecao tambem?Abraco Sandra

    • dicasodonto disse:

      Com certeza. O paciente também deve estar protegido. É que o Post foi baseado nos itens que a Vigilância Sanitária fiscaliza. Obrigado pelo comentário.

  2. Wilian de Moraes Silva disse:

    Boa noite gostaria de saber se dentro minha sala pode ter uma porta que dá acesso ao banheiro. Grato Wilian

  3. Ana Paula disse:

    Boa tarde, estou preocupada, por que a dentista tirou um raio X do dente da minha filhinha de 5 anos, no entanto não colocou o colete de chumbo nela, realmente devo me preocupar ou não?Obrigada

    • dicasodonto disse:

      Olá, Ana Paula. Apesar da exposição gerada por uma radiografia periapical (aquela do filme pequeno) ser muito pequena, o procedimento padrão é o de sempre vestir os pacientes com o colete de chumbo. Assim, acredito que apenas uma radiografia não vá trazer malefícios para a saúde da sua filha. Contudo, a partir de agora, cobre sua dentista para sempre colocar o colete de chumbo antes de qualquer procedimento radiográfico.

  4. alexandre disse:

    ola ,gostaria de saber se o piso da recepcao poide ser de taco ou tabua corrida com sinteco…

    • dicasodonto disse:

      A dica de alguns leitores fica com o piso cerâmico. Para ter certeza, entre em contato com a Vigilância Sanitária de seu município. Boa Sorte!

  5. Ana Paula disse:

    boa noite,

    a tres semanas atras em um tratamento de canal a dentista efetou 5 vezes raiox desse dente, em todas as vezes informou que nao seria necessario colocar o avental,devo me preocupar, fazer algum exame? obrigada

    • dicasodonto disse:

      Boa noite Ana Paula. As exposições em radiografias periapicais são mínimas, mas isso não quer dizer que devemos tirar radiografias sem nenhuma proteção. Da próxima vez, exija o colete de chumbo e o protetor cervical. Boa Sorte.

  6. PAULO disse:

    luis,….lamento discordar…estufa PODE sim…

    • dicasodonto disse:

      “Atualmente, a esterilização em estufas (calor seco) é recomendada por organismos
      nacionais e internacionais apenas para óleos e pós na área médica e para
      alguns tipos de brocas e alicates ortodônticos na Odontologia (CDC, 2003). Estas
      indicações se justificam pelo fato de o processo exigir longo período de tempo
      e altas temperaturas, podendo ocorrer falhas no processo de esterilização. Os
      equipamentos utilizados atualmente nos serviços odontológicos não são automatizados,
      não permitem registros confiáveis dos parâmetros físicos do processo,
      permitem a interrupção do processo e o monitoramento biológico é complexo.” – Retirado do manual da ANVISA, publicado em 2006.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>