Redução de lábios, Bardotização e histeria estética nas Redes Sociais

Você já deve ter visto nos últimos dias imagens de lábios com suturas de lado a lado mostrando um pós operatório de cirurgia de redução de lábio. Essas imagens são de procedimentos realizados por cirurgiões plásticos fora do Brasil, uma dita tendência em países asiáticos, onde alguns modismos bizarros tendem a aparecer como os “Yaeba Teeth“. 

Fotos do Instagram – @dr.apple789

Continue reading

6 sinais de que você precisa de ajuda com na gestão de seu consultório

Dentistas muitas vezes saem da graduação com o desejo de terem seus próprios consultórios e trabalharem de forma independente. Muitos, porém, sentem dificuldade na hora de encarar o consultório como uma empresa. É por isso que as habilidades de gestão são muito importantes na formação de qualquer dentista, afinal o empreendedorismo está muito ligado a essa área.

Clique na imagem e teste o Dentista Organizado por 30 dias

Caso você ainda não se considere um bom dentista empreendedor, confira algumas dicas para reconhecer a hora de pedir ajuda para administrar o seu consultório de forma mais eficiente:

  1. Os seus pacientes faltam

Quando um paciente falta, o dentista não apenas perde o tempo que poderia ser empregado em outra consultas, mas também dinheiro. Por isso, é essencial que o profissional dedique um tempo do seu dia para a confirmação de consultas. Caso não haja tempo ou um assistente para essa tarefa, é possível programar mensagens automáticas de confirmação em softwares odontológicos, como o Dentista Organizado. O paciente pode responder a mensagem de forma gratuita, liberando o horário caso não possa comparecer ao consultório.

  1. Sua equipe não está motivada

O dentista empreendedor precisa dividir seu tempo entre atender os pacientes e ser um bom líder para a equipe de seu consultório, por menor que ela seja. A secretária do local, por exemplo, é responsável pela primeira impressão que o paciente tem da empresa. O atendimento que essa profissional dará ao paciente pode determinar se ele fará o tratamento com você ou se retornará para outra consulta.

Para garantir que os pacientes sejam sempre bem atendidos, invista em treinamentos para quem trabalha no atendimento e em comissões. Esse valor das comissões pode ser referente à venda de tratamentos ou a cada feedback positivo que o consultório receber. Com uma equipe motivada, os pacientes irão se sentir melhor dentro do consultório e terão prazer em consultar com você.

  1. Os pacientes não retornam

Não investir no relacionamento com o paciente também é um indício que você precisa de ajuda na gestão do consultório. Com um software odontológico, é possível ter os dados de seus pacientes e entrar em contato sempre que houver uma oportunidade. Mande mensagens SMS automáticas para cada um em seu aniversário e use campanhas de SMS para dar dicas de saúde bucal e enviar mensagens em datas comemorativas.

  1. As contas do consultório não fecham

Outra tarefa que muitos dentistas acabam negligenciando é o controle financeiro. É preciso anotar todas as receitas e despesas do consultório, para que não haja surpresas no final do mês. Também é necessário investir em reservas financeiras, para que o consultório sobreviva aos meses com menor movimento, como o período de férias. Utilizando planilhas ou um software odontológico, é possível manter esse controle e deixar todas as contas em dia.

  1. Não há crescimento

Um bom dentista empreendedor dedica um tempo na atração de novos pacientes. Além do SMS Marketing, outras ferramentas podem ajudar nessa tarefa, desde que o dentista esteja atento às regras do CFO.

Manter perfis com conteúdo regular nas redes sociais, além de um canal no Youtube e um blog dedicado a dicas de saúde bucal são estratégias que atraem novos pacientes que estão buscando pelo assunto na Internet. Para ter uma referência de canal de Youtube voltado para o mundo da odontologia, confira o canal do Dalton Camargo, especializado em dicas para esses profissionais.

  1. Você não recebe feedback

Fazer pesquisas de satisfação com pacientes é importante para saber os principais pontos fortes e fracos do consultório. Essa pesquisa pode ser feita online (inclua um link para ela em seu site e redes sociais), por meio de um formulário impresso no consultório ou com mensagens SMS. Em um software para dentistas, é possível que você programe as mensagens que pedem a opinião dos pacientes e faça com que eles respondam de forma gratuita. Esse valor será desconto dos créditos do consultório no software e será possível acessar as mensagens de resposta a qualquer momento.

Se você se identificou com todos ou alguns desses itens, comece já a utilizar um software especializado em consultórios odontológicos e comprove os benefícios da organização para os dentistas. Faça um cadastro, inicie um seu teste gratuito de 30 dias no Dentista Organizado e ganhe 50 envios de mensagens SMS gratuitamente, além de acesso à agenda online, controle financeiro e confirmação automática de consultas!

Um Abraço,

Dentista Organizado

O Dentista e o Frentista

Vou contar uma história que aconteceu comigo no mês passado e pode ser usada como uma analogia para o lado do marketing e vendas em Odontologia. Muitas vezes o dentista não sabe como vender seu produto quando ele fica bitolado em “orçar” “obturações” e “limpezas” sem fazer o paciente entender os benefícios de saúde e qualidade de vida que vão agregar valor ao serviço odontológico.

Eu não entendo bulhufas de carros e mecânica, então me senti como um paciente leigo que se senta na cadeira do dentista para resolver um problema e o dentista acaba descobrindo outros em seguida. Situação muito comum na clínica do dia-a-dia.

Voltando do consultório de um colega para minha casa, resolvi passar em um posto de gasolina para abastecer o carro. Bati o olho nos preços dos combustíveis e já decidi mentalmente que queria gastar pouco. “Bom dia, coloca R$ 50,00 reais de etanol para mim, por favor”. Enquanto o medidor da bomba fazia o cálculo, o frentista perguntou se ele podia ver o nível de água e do óleo. Abri o capô já sabendo que precisava encher o reservatório de água do limpador de parabrisas.

“Hum, está com ferrugem na água do radiador” – disse o frentista esfregando os dedos com uma água meio alaranjada. Saí do carro e fui checar: “Poxa, mas esse carro saiu da revisão da concessionária há menos de 2 meses” – eu disse sem saber se a revisão checava esse item. Essa é aquela hora que você sente que vai ter que gastar um pouco mais de dinheiro do que estava programando. O paralelo com a Odontologia fica fácil de ser estabelecido.

O frentista me explicou que o radiador é o sistema de arrefecimento do motor e que não pode ter só água ali dentro, algo que acaba gerando ferrugem que pode em um futuro próximo prejudicar o resfriamento do motor. Seria preciso usar alguns litros de um aditivo que custaria mais alguns R$ 200,00.

É claro que por alguns momentos, a nossa primeira reação é pensar: “esse cara só está querendo ganhar mais dinheiro em cima do tonto aqui que não entende nada de carro”. Naquela hora pude me colocar no lugar de alguns de meus pacientes na cadeira recebendo a notícia de que aquele dente quebrado que ele veio arrumar teria que retratar canal, fazer aumento de coroa clínica, núcleo e coroa. Ele sentou ali para gastar “X” e vai ter que gastar “10X” se quiser arrumar o dente por completo.

Percebendo a minha cara de dúvida, o frentista sacou seu smartphone do bolso do uniforme. “Ainda bem que eu salvei isso aqui” – disse o frentista rolando a tela pelo Facebook até achar um vídeo salvo do programa Auto Esporte que mostrava o mesmo problema pelo qual meu carro estava passando. Ele me deu seu Smartphone na mão e eu assisti um vídeo de uns 3 minutos com explicações sobre radiadores, sistema de arrefecimento, motor esquentando, pane, água oxidada e o uso do tal aditivo. Me lembrei que iria fazer uma viagem de quase 4 horas para Paraty na semana seguinte e agora entendendo o problema, paguei – ainda que a contragosto – mas sabendo que os riscos assumidos ao andar com o carro sem essa troca seriam enormes.

Ás vezes falta isso ao dentista. Essa malemolência de fazer o paciente entender o problema diagnosticado para vender o serviço. Veja que não estou falando de empurrar serviços desnecessários, mas sim de convencer o seu paciente de que ele precisa fazer esse tratamento, se não ele terá certos riscos futuros. Se ele quiser assumir os riscos, sem problemas. Porém, fazer o paciente entender seu problema seja com exemplos, com vídeos, com imagens de uma maneira clara – não adiata sair falando “odontologês” usando palavras que só os dentistas entendem como “distal”, “oclusão”, “apinhamento” e etc.

Por isso insisto na cobrança das consultas de avaliação e que elas não sejam muito curtas. Essa conversa inicial ajuda na decisão do paciente. Use de todos os métodos necessários, tire as dúvidas e tenha segurança no seu diagnóstico e nos tratamentos propostos. O paciente que entende seu problema da mais valor para sua resolução.

Um Abraço

Luiz Rodolfo

Sesc Santo Amaro – Luz, Câmera, Saúde


Olá amigos. Muito contente em poder participar deste projeto junto com o Sesc Santo Amaro para falar de saúde bucal e saúde geral para o público da Internet de uma maneira leve, didática e bem humorada. Confira os primeiros dois capítulos da série:

Apresentação – Saúde Bucal e Saúde Geral interligadas

Depressão – O tema escolhido pela OMS para o Dia Mundial da Saúde de 2017

Saúde bucal não tem como ser separada da saúde geral porque tudo no corpo humano está interligado. A boca é a porta de entrada do nosso organismo. Entenda um pouco mais sobre como a boca funciona para poder prevenir doenças e ter uma melhro qualidade de vida. Venha com a gente e inscreva-se no canal do Sesc Santo Amaro para acompanhar mais vídeos.

Um Abraço

Equipe Dicas Odonto

Modelo Renata Banhara, Canal, Sinusite e Infecção Cerebral

Ontem, dia 10/04/2017, o site EGO da Globo.com (VEJA AQUI) noticiou que a modelo Renata Banhara estava internada no CTI do Hospital Albert Einstein com uma infecção cerebral (abcesso cerebral). Um vídeo da modelo explicando sua condição rodou as redes sociais e em sua explicação tudo pode ter iniciado em uma infecção dentária. Será que infecções na boca podem causar infecções no cérebro?

Hoje, dia 11/04/2017, o mesmo site noticiou (VEJA AQUI) que a modelo passou por duas cirurgias e que passa bem. Estamos aqui torcendo pela melhora da Renata e aproveitar a grande divulgação do caso para discutir esse assunto seríssimo: SIM! Infecções da boca PODEM se deslocar para o cérebro. Não estou afirmando que foi isso que aconteceu com a Renata Banhara, mas transcrevi abaixo a explicação que ela enviou em vídeo a um amigo jornalista:

Foto Instagram @Rebanhara – Estamos torcendo pela sua rápida recuperação! Força!

“Na verdade, um dente meu teve … Eu fiz canal há 6 anos atrás e esse dente fechou tudo lindo maravilhoso, sem problema. Esse dente fez um pólo de infecção. Só que ele não me deu febre, não deu pus e não infeccionou. Ele fez uma infecção sigilosa. Aí, a parte dos ossos aqui são muito leves, são fininhas. Se não a cabeça caía, né? Os ossos são leves, esses ossos da cabeça. A bactéria foi pros ossos, fez uma sinusite aqui e essa sinusite criou outras bactérias. Mas essa sinusite também não me deixou com febre, não saiu secreção, não fez nada. Tudo silencioso. Quando você veio para São Paulo, já tava com muita dor … Desde novembro, dezembro eu tô com muita dor na cabeça. Muita dor. Muita dor, muita dor, muita dor …”

Obviamente é uma explicação repassada por uma pessoa que não é da área da saúde, porém ela tem partes que condizem com que pesquisas científicas apontam. Talvez só seja possível ter certeza fazendo uma cultura e identificação das bactérias, isto é, dando nome aos bichinhos e comparando. Muitos pesquisadores alegam que as bactérias podem viajar pela corrente sanguínea e não só ” ir subindo” do dente, pro seio maxilar e depois para o cérebro. Muitas otites (infecções do ouvido) não tratadas completamente ou sinusites podem causar abcessos cerebrais. As bactérias chegam lá porque regiões em volta do cérebro estão infectadas. O cérebro fica muito protegido dentro do crânio, mas mesmo assim, existem bactérias que chegam lá e causam dores de cabeça horríveis. Outros sintomas dos abcessos cerebrais, além das dores de cabeça: Sonolência, lentidão de raciocínio, paralisia, perda de sensibilidade, distúrbios na fala e perda de campo visual. 

Releiam a transcrição do vídeo da Renata Banhara. Ela teve um canal tratado que ficou “tudo bem” e em silêncio, isto é, sem sintomas. Isso é muito comum. Qualquer tratamento Odontológico, inclusive o de canal, precisa de acompanhamento. Tem que voltar no dentista quando ele fica te ligando para o retorno! Neste caso, uma simples radiografia poderia constatar esse “pólo de infecção” mencionado pela modelo.

O brasileiro é muito mal acostumado a tratar os problemas quando eles estão no limite. E depois de tratado, ok! Nunca mais volta para ver se está tudo bem. Esse caso mostra o importância do acompanhamento odontológico. Não só para canais, mas para qualquer tratamento. Restaurações, doença de gengiva, próteses. Nada dura para sempre e muitas doenças são silenciosas.

Algumas pesquisas mostram que 10% das sinusites podem ser causadas por problemas bucais. E tudo isso começa no problema bucal mais comum e básico: a cárie dentária. Que pode se aprofundar atingindo o canal do dente, que pode gerar um abcesso periapical (na pontinha da raiz do dente) que pode invadir a cavidade sinusal. Muitas raízes de Primeiros Molares Superiores tem íntima relação como seio maxilar. Pior: Tudo isso pode acontecer sem uma grande dor. Pessoas convivem (não sei como) com isso. Tem gente que convive com problemas respiratórios classificando-os como “Rinite”, “meu nariz é sempre assim”, “é a poluição” e não procuram um médico para o correto diagnóstico. 

Quanta vezes tiramos algumas radiografias de rotina e nos deparamos com infecções grandes que o paciente nem está ciente? “Mas não dói nada doutor!” Esse caso que felizmente foi tratado a tempo e continuamos torcendo para que a Renata melhore logo! Compareça sempre às consultas com seu dentista, mesmo se não estiver com dor. Se tiver problemas respiratórios, consulte um médico. Cuide-se! 

Veja a opinião das ODONTODIVAS

Veja a análise do BLOG MEDO DE DENTISTA

Para quem ainda está cético em relação a isso, sugiro pesquisar artigos científicos que relacionem Abcessos Cerebrais, Sinusite e Problemas Bucais. 

Um Abraço

Equipe Dicas Odonto

Propaganda e Marketing: Profissionais de Saúde nas Mídias – Fórum do CRFSP


Fiquei muito contente por ter sido convidado para representar o Conselho Regional de Odontologia no II Fórum Direitos e Prerrogativas Profissionais com o tema Propaganda e Marketing: Profissionais de Saúde nas Mídias. Foi muito interessante ver as posições de vários profissionais de saúde sobre o Marketing em Saúde.

Em época de mídias sociais é sempre bom discutir Propaganda e Marketing. Sabemos que a propaganda de serviços ou produtos é um direito garantido pela nossa Constituição Federal, porém, na área da saúde é preciso seguir os Códigos de Ética de cada profissão que sempre visam a proteção dos pacientes e profissionais e condenam práticas como Mercantilismo, Autopromoção e Sensacionalismo. É preciso conhecer bem as regras do Código de Ética da sua profissão que geralmente possui um artigo inteiro dedicado a propaganda e à divulgação de serviços.

Continue reading

Como reduzir as faltas no seu consultório odontológico e economizar com isso

Dentistas empreendedores sabem que faltas a consultas são um grande problema dentro de uma clínica ou consultório odontológico. Faltas devem ser evitadas porque têm como consequência a perda financeira (o valor daquela consulta já não será mais recebido) e perda de tempo, afinal nesse horário vago outro atendimento poderia ser realizado. As faltas ainda são recorrentes em consultórios, mas com algumas dicas é possível evitá-las, confira abaixo:

Não subestime a importância do papel

Muitas pessoas ainda dão valor para as anotações. Ter a informação em um papel é importante para que elas sejam memorizadas. Por isso, se o seu paciente marcou a consulta pessoalmente (isso, claro, não é válido para consultas marcadas online), anote o dia e o horário para que ele leve esse lembrete.

Continue reading

Cárie é transmissível ? É um doença infecciosa?


Os conceitos sobre cárie vão evoluindo ao longo dos anos. Entender melhor um problema é a chave para poder resolvê-lo com mais eficiência. Converso com muita gente, leio muitos artigos dentro e fora da Internet e percebo que existe uma pequena confusão quando falamos de cárie. Vamos divagar um pouco sobre os conceitos e entender a melhor maneira de nos prevenirmos contra essa doença que ainda é a mais prevalente na boca.

Todo mundo nasce com as bactérias que causam cárie. Sim. Não tem jeito. Elas estão aí na sua boca neste exato momento em que você está lendo este texto. E estão com você desde sempre. Pesquisadores admitem que é impossível acabar com a cárie. A guerra contra as cáries é uma constante na humanidade.

Continue reading

Harmonização facial garantida ao Cirurgião Dentista

A harmonização facial é uma realidade para os dentistas. O ano de 2016 trouxe novas áreas de atuação para o cirurgião dentista, aumentando a gama de procedimentos que esses profissionais realizam na face, fora do ambiente bucal. Recentemente, vimos que conselhos, associações e sociedades de médicos e de dentistas estão conversando para entrar em acordo sobre essas novas resoluções.

Fonte: Pinterest www.mackmd.com

Parece que alguns médicos ficaram “mordidos” com os cirurgiões dentistas porque nosso conselho federal (CFO) nos deu permissão para utilizar toxina botulínica e materiais de preenchimento, entre outras técnicas, fora da região da boca. A área de atuação do cirurgião dentista aumentou de tamanho, sendo expandida para o terço superior e inferior da face, com ressalvas. 

A linha que divide a cirurgia plástica, os médicos dermatologistas e a atuação do cirurgião dentista é tênue. Qualquer ação realizada com toxina botulínica e materiais de preenchimento como ácido hialurônico na face estão liberadas ao cirurgião dentista, do osso hióide (localizado no pescoço) até a linha do cabelo. Pés de galinha, rugas na testa, olheiras, rugas em volta dos lábios, linhas de expressão, sorriso gengival, nariz, queixo, bochecha. Tudo usando as substâncias citadas, sem aliar procedimentos cirúrgicos. Por exemplo, dentista não pode fazer plástica de nariz eletiva com fratura óssea ou implante de cabelo, atribuições exclusivas dos médicos.

Rinoplastia com cirurgia aberta é área de atuação médica. Rinomodelação é realizada com materiais de preenchimento, portanto, podem ser feitas por dentistas dentro de suas limitações e indicações. 

Isso abre um leque grande de possibilidades e quem vai escolher com qual profissional passar é o paciente.  A faculdade dá aos dentistas toda base anatômica para realização de tais procedimentos, mas acredito que um curso como uma especialização seja mais apropriado e interessante para o cirurgião dentista sair realizando esses procedimentos de harmonização facial com segurança total. Cursos de final de semana não são suficientes, na minha singela opinião.

Aproveito este post para fazer um apelo aos colegas dentistas: cuidado com a maneira que vocês estão divulgando tudo isso. Tem dentista andando com seringa de botox em riste, tipo o “Mr. M da seringa”, transmitindo cirurgias ao vivo no Instagram, fazendo promoções sorteando procedimentos, postando milhares de fotos antes e depois, algumas inclusive com efeitos de photoshop e posições diferentes da cabeça do paciente. Parem com isso. Existem melhores maneiras de propagandear esses procedimentos e aí os médicos têm toda razão de ficarem nervosos com esse tipo de abordagem. Parem de “perder a mão” nas redes sociais. Prestem mais atenção nessa exposição abusiva de procedimentos que acabamos de conquistar.

Atualização – 23/03/2017 – Na verdade, o engodo está apenas começando. Em nota, a Sociedade Brasileira de Dermatologia declara que irá propôr nova ação contra o CFO em favor do Ato Médico – Leia AQUI

O que você acha? Deixe sua opinião abaixo!

Opinião das Odontodivas – AQUI

Um Abraço,

Equipe Dicas Odonto

Empresa de sucesso, Odontologia falida


Já vimos acontecer mais de uma vez. Alguns negócios são insustentáveis (vide Imbra) e se tornam redes de administração de riscos correndo atrás do próprio rabo para resolver os problemas que eles mesmos causam no mercado. Já adianto: NÃO SÃO TODAS FRANQUIAS QUE TRABALHAM CONTRA A BOA ODONTOLOGIA. Não podemos colocá-las todas no mesmo saco. Porém, algumas delas estão enriquecendo seus donos em cima das costas de dentistas mal remunerados, práticas como orçamento e instalação de aparelho grátis e um montante de pacientes insatisfeitos que percebem que o serviço prestado na ponta está bem aquém das suas expectativas. 

Saúde bucal deve ser para todos. Apesar de muita gente reclamar que dentista custa caro, se você colocar o valor agregado de tratamentos odontológicos na multiplicação da saúde como um todo, você vai perceber que não é tão caro assim. Vislumbrando essa falta de acesso de muitos pacientes ao tratamento odontológico, percebemos o surgimento de várias empresas que têm essa parcela da população como público alvo.

É louvável oferecer tratamentos mais em conta e melhores formas de pagamento. Acredito que a grande maioria dos dentistas trabalha para oferecer o melhor tratamento possível com preços competitivos. O problema é a adoção de práticas imorais, antiéticas e mercantilistas em nome do lucro a qualquer custo, sem se preocupar com o serviço entregue na ponta. É isso que pode-se observar em certas redes por aí.

Em uma matéria recente em um jornal de grande circulação fui obrigado a ler sobre a “genialidade” de um empreendedor que resolveu não cobrar para colocação de aparelho odontológico em suas clínicas e se vangloriar porque hoje esta prática é adotada por muitos dentistas pelo Brasil. “Ortodontistas, uma salva de palmas !!!” Esse diferencial é o grande mote do seu negócio. Pera aí. Oferecer um serviço de graça? Contra o que preza o nosso Código de Ética Odontológica? Como que essa conta fecha, sendo que as peças do aparelho precisam ser compradas? Sem contar o custo do material para colagem e todo o funcionamento de uma clínica. E os honorários dos dentistas? Onde está a mágica?

Não tem mágica. Muito provavelmente esse custo estará diluído nos pagamentos de manutenção do aparelho. Ou pode ser que paciente fique com este aparelho por mais tempo que o necessário, para custear a “gratuidade” oferecida inicialmente, o que seria um grande absurdo. Isso não pode ser afirmado com certeza, mas são conclusões que podemos chegar se começarmos tentar buscar explicações para o fechamento dessa conta. 

Pode ser também que o cirurgião dentista que escolha trabalhar nestas clínicas, receba honorários baixos, trabalhando no limite, atendendo muitos pacientes em um menor tempo de consulta. Nesse caso, o resultado seria uma menor qualidade no serviço oferecido e um desgaste imenso do profissional da saúde bucal que já sofre muito por sua posição de trabalho e exposição a agentes infectantes. Esse dentista vai ficar corcunda, cego e surdo bem mais rápido do que os outros.

Basta fazer a conta. Com uma diária paga de R$ 300,00 por 10 horas de trabalho. Tire R$ 20,00 de almoço, R$ 20,00 de estacionamento e R$ 10,00 de gasolina, por baixo temos R$ 25,00 por hora de trabalho. Sem contar os impostos. Foi para isso que você estudou tanto?

O pior de tudo é que o Brasil se tornou um lugar propício para o aparecimento desse tipo de serviço. Há uma grande demanda, portanto um grande giro de pacientes e uma sobra absurda de dentistas que são despejados anualmente no mercado (mais de 12.000) pelo excesso de faculdades. A fórmula perfeita do sucesso para um empresário que resolver explorar o trabalho de um profissional e se aproveitar de uma demanda reprimida. Aí basta oferecer “orçamento grátis” e “aparelho grátis” numa clínica estilo Mc Donald´s da Odontologia com um investimento pesado em marketing que o negócio está feito.

Fique de olho nas linhas pequenas dos contratos. O muito barato em saúde, geralmente sai mais caro no longo prazo.

O que me entristece profundamente é o enaltecimento desse tipo de negócio vicioso que acaba não sendo leal com o paciente ou com o dentista, enquanto seus donos se tornam milionários. Daria para todos saírem ganhando. Existem franquias de empresas que pensam no todo e funcionam muito bem há anos. Outras estão fadadas ao insucesso com total consciência de seus idealizadores, contanto que seja possível alavancar uma grana durante o tempo de vida da empresa. Quem sai perdendo? O paciente, o dentista e a odontologia.

Um Abraço,

Equipe Dicas Odonto