Antibióticos não estragam mais os dentes como antigamente


Isso é uma coisa que acontecia em alguns casos há muitos anos. Hoje isso não pode mais ser tomado como verdade. Dentes estragados geralmente são por problema de cárie ou por algum problema na formação do esmalte dental. 

A Chloe aí do meme está apenas sendo irônica. Os cirurgiões dentistas cansam de ouvir essa explicação para dentes estragados e esburacados. São duas frases que ouvimos bastante dos pacientes e que eles tomam como certo: 

  • Meus dentes são ruins porque tomei muito antibiótico quando era pequeno
  • Perco os dentes com facilidade. Com minha mãe era assim e com a minha avó também. 

Muitas pesquisas ao longo dos anos mostram que a hereditariedade tem uma pequena parcela de “culpa” sobre algumas doenças que acometem nossa boca e o nosso corpo. Porém, apenas 30% da “culpa” (ou propensão) pode ser colocada na conta da genética. Os outros 70% são por fatores ambientais ou externos, no caso das cáries é o consumo desenfreado de açúcar, falta de escovação, falta de higiene bucal e maus hábitos alimentares. Infelizmente, muita gente não sabe escovar os dentes direito (isso não é demérito nenhum) e repassa essa má escovação para seus filhos. Sobre hábitos alimentares, o dia a dia mostra que os pais são os responsáveis pelo que as crianças comem. 

Lembre-se que entre você ser propenso a ter uma doença e ter efetivamente uma doença existe um caminho que depende de gatilhos vindos do estilo de vida que você leva.

Os antibióticos que causam problemas na formação dental são as Tetraciclinas e eram muito utilizados nos anos 60 para tratar várias doenças. LEIA MAIS AQUI. Hoje as Tetraciclinas forma praticamente banidas e não são mais prescritas para crianças em idade de formação dental. Sabemos que o uso de antibióticos na infância não estraga mais os dentes e não causa cáries. Então tire essa lenda da cabeça! Sim, você também já pode comer manga com leite e bolo quente recém saído do forno que não vai fazer mal.

Sobre Diabetes e Doenças Cardíacas, poe exemplo, se seus pais têm, não quer dizer que você vai ter, mas quer dizer que você tem mais chance de ter, se não se cuidar.

Inclusive vemos um movimento mundial pela diminuição da prescrição de antibióticos. Não porque ele traga problemas bucais, mas porque pode gerar bactérias ultra resistentes. Interessante prescrever e tomar antibióticos apenas quando extremamente necessário e quando tomar, fazer o tratamento até o final conforme a prescrição do dentista ou do médico. Parar de tomar no meio do caminho porque os sintomas já melhoraram é um erro muito comum que pode fazer com que super bactérias sejam criadas dentro de você.   

Basta higienizar os dentes e a língua sempre após as refeições e visitar seu dentista com frequência mínima de duas vezes ao ano. Não se engane ao colocar a culpa nos antibióticos ou nos genes. Sobre caninos inclusos? Isso é um assunto para outro artigo, mas podem ter a ver com genética e com diagnóstico precoce de posicionamento dental. Por isso sempre vale a pena levar seu filho no ortodontista para uma avaliação. 

Foto – Odontodivadeprê 

Um Abraço,

Equipe Dicas Odonto

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*