Dormir de dentadura pode aumentar risco de pneumonia em idosos

Foi o que o estudo do professor Toshimitsu Iinuma da Nihon, pesquisador chefe da University School of Dentistry do Japão, concluiu. Já sabemos da relação entre saúde bucal deficiente e pneumonia em idosos, porém, este novo estudo mostra dados alarmantes sobre o costume que muitas pessoas tem de dormir com a dentadura.

Dentadura

Continue lendo

Dentistas x Luciana Gimenez no Instagram

Dia 05/12/2014, clima de Natal, final de ano chegando e eis que a apresentadora Luciana Gimenez posta uma selfie na cadeira do dentista no Instagram com a legenda “Detesto Dentista”. Foi o suficiente para liberar toda ira e todo mimimi enrustido dentro de muita gente na Internet.

Luciana Gimenez IG 1

Print do Instagram da apresentadora Luciana Gimenez

Continue lendo

O médico que arrancava dentes para tratar problemas mentais

Recentemente, o seriado The Knick, exibido pela TV a cabo HBO no Brasil, mostrou partes chocantes da história da medicina. O seriado se baseia em acontecimentos reais e se passa no início do século XX. Acreditem: extrair todos os dentes era procedimento padrão realizado em pacientes diagnosticados com doenças mentais.

Livro Dr. Cotton 2

Print do livro “The Defective ans Insane” escrito pelo Dr. Henry Cotton em 1921

O Dr. Henry Cotton ficou conhecido por realizar esse tipo de procedimento quando se tornou diretor médico do Hospital Estadual de Trenton, em Nova Jersey. Cotton foi aluno do renomado médico Dr. Adolf Meyer, professor na Escola de Medicina John Hopkins. Na época, doenças mentais não eram entendidas como hoje e a medicina era basicamente experimental.

Meyers viajou na seguinte ideia: se pacientes com febre alta começam a apresentar sintomas comportamentais como alucinações, é possível  que infecções (conceito extremamente novo na medicina da época) sejam a causa dos mais variados problemas mentais. Isso quer dizer que se fosse internado nesta clínica em Nova Jersey com sintomas de alguma doença mental, todos seus dentes seriam arrancados. E não pararia por aí.

Livro Dr. Cotton

Print do livro “The Defective ans Insane” escrito pelo Dr. Henry Cotton em 1921

Cotton acreditava que os dentes eram focos de infecção que liberavam “toxinas” que podiam envenenar o cérebro levando às doenças mentais. Tudo isso sem a mínima comprovação científica que conhecemos hoje. Puro chute e observação. Se o paciente não melhorasse (como acontecia na maioria das vezes), Cotton prosseguia com remoção das amígdalas, adenóide, baço, cólon, estômago, esperando pela cura da doença. Bacteriologia cirúrgica ou Terapia da Infecção Focal era o nome dado aos procedimentos que removiam órgãos passíveis de causar doença mental por “poluição” do cérebro. Isso tudo antes da descoberta dos antibióticos. A taxa de mortalidade de seus pacientes era altíssima.

O médico era tão fiel  às suas convicções que mandou extrair todos os dentes de sua esposa e dos seus dois filhos para evitar que eles tivessem doenças mentais. Parece que cerca de 11.000 dentes foram extraídos pela equipe do Dr. Cotton durante sua permanência como diretor do Hospital, de 1907 a 1930. O próprio médico mandou tirar alguns de seus dentes, quando achou que poderia estar tendo problemas psiquiátricos. 

Uma curiosidade bizarra trazida para vocês pelo Blog Dicas Odonto. Não estamos querendo julgar as ações do Dr. Cotton, que trabalhou com os artifícios que ele tinha disponíveis em sua época. Por um lado, ele nem estava tão equivocado assim. Hoje sabemos que muitas doenças (não psiquiátricas) podem ser causadas por bactérias presentes na boca. Leia nosso post sobre Medicina Periodontal – AQUI.

Quem tiver curiosidade, o livro do Dr. Cotton “The Defective ans Insane” está disponível neste link AQUI

Ele usa termos como “Higiene Mental” e fala sobre dentes semi inclusos, higiene dental e mental de crianças, com radiografias periapicais e conceitos odontológicos da época. 

Um Abraço,

Equipe Dicas Odonto

Amálgama – a literatura mostra que o material é bom e seguro

Recentemente, a proibição do amálgama no estado do Rio de Janeiro deixou os dentistas encafifados. O material que ainda é largamente usado na saúde pública brasileira e tem 150 anos de uso e estudos foi banido por um projeto de lei. Esta postagem serve de alerta ao público geral sobre a segurança do amálgama.

Aboprev mercúrio 1990 (1) Aboprev mercúrio 1990 (2)

Clique sobre as imagens para ver resoluções esclarecidas sobre o amálgama (Fonte – ABOPREV Facebook)

Continue lendo

O Amálgama está proibido no Rio de Janeiro

Os ambientalistas estão em festa. Seu churrasco vegetariano já dura dias de leleô. O PL 2461/2013 (Leia o projeto na íntegra e suas penalidades clicando sobre ele) foi aprovado é o amálgama está proibido no Rio de Janeiro. Na canetada. 

Amálgama 2

Continue lendo

Palito de dentes

Quem nunca reparou que ainda tem gente que após as refeições, coloca uma das mãos na frente da boca escondendo que está cutucando os dentes com um palito de madeira, no meio do restaurante? O ser humano usa apetrechos afiados para remover restos de alimentos dos dentes desde que se conhece por gente. Pelo menos é o que informam alguns estudiosos, baseados em marcas deixadas por estas peças em fósseis. Dizem que é o primeiro objeto usado pelo homem para higiene bucal. Qualquer objeto pontiagudo como espinhas de peixe, lascas de bambu ou pedaços finos de madeira servem para remover aquele resto indesejado de alimento dos dentes. Eles já foram fabricados em cobre, prata e ainda há um relato de uns dois séculos antes de Cristo, de um tirano que morreu porque seu escravo colocou veneno em seu palito.

Palito-de-dente

Hoje ele é feito de madeira ou plástico, industrializado, sua embalagem clássica aqui no Brasil até ganhou um famoso perfil de twitter a Gina Indelicada (Veja Aqui). Alguns vêm em embalagens individuais de papel, como um meio de diminuir o desperdício, aumentar a higiene do produto, ou ainda acabar com aquela brincadeirinha sacana que as pessoas faziam com o paliteiro, virando-o ao contrário e fazendo com que todos palitos caíssem quando o garçom fosse levantá-lo da mesa. 

E aí? O que os dentistas falam sobre o palito? O palito de dentes não é indicado pelos dentistas. Ele da a falsa sensação de limpeza. Sim, sabemos que ele remove pedaços de comida maiores, ou aquele teco de picanha do churrasco, mas ele não remove a placa bacteriana. Ele pode até ser usado em uma situação de urgência, mas ele não consegue substituir o fio dental. Além disso, sua forma pontiaguda e grosseira machuca as gengivas, gerando inflamação constante. 

palito-de-dente

Fonte da Imagem – http://www.multioral.com.br/nao-existe-palito-de-dente/

 

 

Pode perguntar por aí. Dentistas não gostam de palitos e convenhamos, é um hábito não muito bonito de se ver ao vivo. Uma opção para quem gosta de palito são os chamados palitos interdentais, feitos de plástico duro e em formado triangular ou piramidal, tentando imitar melhor a anatomia da região entre os dentes. Eles não são muito fáceis de encontrar no Brasil e não podem ser usados para substituir fio ou fita dental. Ele serve apenas para remover grandes restos alimentares. A placa bacteriana que vai causar gengivite, tártaro e ainda periodontite não é removida pelo palito.

Flossers Instagram Dicas Odonto

Estes aparatos tem um fio dental de um lado e do outro são mais afilados, servindo como um palito de plástico

O outro problema que os dentistas vêem no palito é o seguinte: você demora um tempo para palitar todos os espaços entre seus dentes e vai ter uma sensação falsa de limpeza da boca. Quem vai gastar tempo com palito, escova e fio dental? Melhor dispender este tempo para passar o fio dental que é mais eficaz na remoção da placa. Além disso, o palito pode virar um hábito nocivo se você fica mascando a madeira depois de usar, ou se fica deixando ele na boca, passando ele para um lado e para outro. 

 

E você? Usa palito ainda? Conte para a gente o que você acha dessa postagem abaixo, nos comentários.

 

Um Abraço,

Equipe Dicas Odonto

Vitória elimina restaurações em amálgama na rede pública

A notícia saiu hoje no site da prefeitura de Vitória, Espírito Santo. Esse assunto, quando tratado no âmbito da saúde pública tem bastante abertura para discussão. Muitos dentistas defendem o uso do amálgama de prata, enquanto que outros são mais adeptos das resinas compostas atuais.

Amalgama

Continue lendo

Panorama da Saúde Bucal no Brasil 2014

Mais uma vez a saúde bucal foi foco de uma reportagem do Fantástico da Rede Globo. Um veículo de grande audiência para chamar atenção das pessoas para a importância da saúde da boca. Sabemos que a saúde bucal pública no Brasil melhorou um pouco nos últimos anos, mas ainda está ruim.

 Odontologia clínica

Assista a reportagem aqui – REPORTAGEM FANTÁSTICO SAÚDE BUCAL 2014

Veja esses números: 20% da população pesquisada não vai ao dentista por falta de dinheiro. 46% consideram o acesso ao dentista complicado. 1/3 dos pacientes não conclui o tratamento odontológico na rede pública e 68% não sabem que tem direito ao dentista. Estima-se que cerca de 20 milhões de pessoas nunca foram ao dentista. 

Continue lendo

Quanto vale um dente?

É importante que os dentistas e as pessoas em geral se façam esta pergunta quando vão considerar investir seu dinheiro em tratamentos odontológicos. Quanto vale um dente? Quanto vale seu sorriso? Você já pensou nisso? Por quanto você venderia o seu sorriso? Você que tem todos os dentes na boca, bem cuidados e conservados, deve pensar “meu sorriso não tem preço!” Aí na hora de fazer um tratamento odontológico muita gente reclama que sai absurdamente caro. Será mesmo?

Dente x Smatphone

Continue lendo

Ortodontia – vídeo mostra em 60 segundos

Os benefícios dos tratamentos ortodônticos já são bastante conhecidos. Dentes mal posicionados podem acarretar sérios problemas como maior acúmulo de alimento e placa, mordida instável, problemas estéticos, entre outros. Veja o vídeo bastante elucidativo de um tratamento feito em 18 meses, que aproveitou o crescimento facial da paciente para colocar os dentes no lugar correto.

Aparelho ortodôntico - menina do vídeo

Dentes arrumados em 60 segundos

Vale lembrar que nem todos casos são rápidos e “redondos” como este mostrado no vídeo. Cada caso é um caso, que precisa de avaliação e planejamento individualizado. Ainda podemos dizer que há uma série de fatores que podem limitar o resultado final do aparelho ortodôntico. O dessa paciente acima estava em condições ideais e é impressionante enxergar a mudança para melhor. 

Caso tenha dúvidas sobre seus dentes e sua posição, consulte um ortodontista.

Um Abraço,

Equipe Dicas Odonto